INSTANT PAYMENTS (Pix)

PIX Talks - Special Session | Highlights

Webinar mostrou, ao vivo, solução da Matera para o Pix rodando junto ao Banco Central.


O ecossistema de Pagamentos Instantâneos teve uma prova concreta de que o PIX já é uma realidade (e segue em ritmo acelerado!). O PIX Talks - Special Session foi realizado no dia 4 de junho e trouxe uma demonstração da solução Matera Instant Payments funcionando pra valer e ao vivo no processo de Homologação junto ao Banco Central.

 Por OSCAR FUJIWARA

Para grande parte dos mais de 500 participantes do evento, essa foi a primeira vez em que puderam ver o PIX funcionando de fato, sem o uso de mockups ou simuladores.

O que mostramos na Homologação ao vivo:

  • Testes de Conectividade - Mensagens pibr

  • Testes do DICT - Inclusão, Exclusão e Consulta

  • Testes de Liquidação - pacs.008 e pacs.002 

Após a demonstração, aconteceu um painel de discussão sobre os impactos da chegada do PIX ao mercado, que contou com a presença de Carlos Netto (CEO da Matera), Diogo Meirelles (Head of Sales da Matera), José de Carvalho Junior (CIO e CoFounder da BPP) e Mauricio Santos (Diretor de Soluções e Produtos Financeiros da Claro). Quem fez a mediação do debate foi o Bruno Samora (Gerente da B.U. de Retail da Matera).

A seguir, disponibilizamos os highlights do bate-papo:

Prova real

“Para muitas pessoas, esta foi primeira vez na qual visualizaram o PIX funcionando ao vivo -  é um momento histórico. Como houve todo aquele debate no ano passado sobre o cumprimento dos prazos pelo BC, hoje foi a prova real. Entramos em homologação no dia 1 de junho, e nesse dia já funcionou. Essa demonstração foi ainda mais interessante porque utilizamos o ambiente da BPP, que é uma instituição de pagamento e não um banco tradicional, para trocar mensagens com o BC”, Carlos Netto.

On Premises ou Cloud

“Temos percebido que muitos players no mercado têm a impressão de que só é possível participar do PIX através do PSTI. Na verdade, esta é apenas uma das formas. A outra é utilizando o software de um fornecedor - como é o caso da BPP com a Matera na nossa demonstração - dentro da sua Cloud ou dos servidores que a instituição tenha internamente”, Diogo Meirelles.

Custo de transação

“No PSTI o servidor e os links são oferecidos de forma compartilhada entre diversos clientes. Se você acredita no PIX e que a sua instituição terá um volume grande de transações, o custo por transação no PSTI costuma ser muito elevado. É importante avaliar o custo de transação que você terá no PSTI e multiplicar isso pela quantidade de transações que poderá ter no total no PIX. Se forem milhares, a diferença entre rodar On Premises ou Cloud e rodar com o PSTI pode ser discrepante”, Carlos Netto.

Oportunidades para quem aderir mais cedo

“Quanto antes você aderir ao PIX, mais tempo terá até para entender, pilotar e desenvolver Pagamentos Instantâneos. Há muita janela para criação, muita coisa nova e modelos de negócio que não foram nem imaginados ainda. Uma das principais características que eu vejo no PIX, de disrupção de pagamento, é a possibilidade de trafegar no pagamento informação adicional que pode ser usada de diversas maneiras, como é o caso da conciliação”, José de Carvalho Junior.

Vantagem de negócios

“Aderir ao PIX agora, não apenas nos testes, mas participando dos fóruns do BC, representa uma grande vantagem. As instituições que entrarem agora, sejam elas bancos tradicionais ou fintechs, não só estarão na vanguarda e poderão aproveitar as oportunidades, mas também terão o poder de influenciar e ter vantagem de negócios. Para quem seguir só com arranjos fechados de pagamento, é questão de tempo até perder a competitividade”, Mauricio Santos.

Incentivo ao usuário final

“O BC está fazendo seu papel para facilitar a experiência do usuário final do PIX: trouxe requisitos obrigando que o PIX esteja visível nos aplicativos e seja de fácil acesso, por exemplo. As condições estão na mesa, e agora temos que incentivar as pessoas a criar o hábito. Vemos que é um projeto que já nasce com força para ganhar espaço”, Bruno Samora.

Lock-in do mercado

“Em outros países, inclusive em outras categorias de serviços digitais, quem teve a oportunidade de entrar antes e ser mais agressivo conseguiu o lock-in do mercado. Ou seja, como é um mercado multilateral, entre pagadores e recebedores, quem tem a capacidade de entrar antes e ser mais agressivo acaba conquistando mais clientes. E clientes valem ouro nesse tipo de negócio. Dessa forma, o esforço de entrantes tardios para trazer clientes fica muito maior”, Mauricio Santos.

Nosso próximo encontro para falar sobre PIX já tem data marcada! O PIX Talks | 2ª edição acontecerá no dia 25 de junho, e discutiremos as diretrizes do BC na 9ª plenária do Fórum PI.

Faça sua inscrição aqui:  https://bit.ly/3h93JYJ

Se quiser continuar a conversa sobre o PIX com a gente, envie um e-mail para pagamentos.instantaneos@matera.com.

Similar posts

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Quer saber quais são as últimas notícias do setor em primeira mão? O seu próximo clique tem que ser aqui.