Payfac

Banco ou instituição de pagamento: conheça as diferenças

Banco ou instituição de pagamento? Entenda as diferenças e como empresas podem ser beneficiadas.


Até pouco tempo atrás, a oferta de serviços de pagamento no Brasil se resumia a um número pequeno de instituições financeiras, normalmente lembradas pelos grandes bancos. Desde 2013, esses serviços deixaram de ser exclusividade delas. Nos últimos anos, no entanto, outro conceito ganhou espaço no mercado: o de instituição de pagamento. Então, a escolha entre banco ou instituição de pagamento passou a ser relevante para os negócios.

Afinal, se tanto bancos e demais instituições financeiras quanto instituições de pagamento prestam serviços de pagamento, qual a diferença entre eles? 

Se este é o seu dilema, confira as diferenças entre banco e instituição de pagamento neste artigo!

Banco ou instituição de pagamento? Entenda quem é quem 


O que caracteriza um banco?

Banco é um tipo de instituição financeira que oferece serviços que vão desde movimentações financeiras - depósitos, saques e pagamentos -, passando por investimentos e aplicações, até financiamentos e empréstimos. 

Para isso, ele funciona como um intermediário entre os poupadores (quem tem interesse em emprestar suas reservas para obter ganhos através de juros) e os tomadores de empréstimo (quem precisa de crédito para alcançar certo objetivo). Nessa intermediação está boa parte de seus riscos, mas também de seus lucros, que vêm dos juros.

Por isso, além de autorização do Banco Central para atuar, os bancos garantem a segurança de seus usuários por meio de:

  • plano de negócio sólido;
  • normas como limite de empréstimos e de tarifas;
  • informes constantes à autarquia sobre pagamentos e prazos;
  • e Fundo Garantidor de Crédito, que garante o dinheiro depositado aos poupadores.

O que caracteriza uma instituição de pagamento?

Emissores de cartão de vale-refeição e demais cartões pré-pagos, emissores de cartão de crédito e credenciadores das maquininhas. Todos esses são tipos de instituição de pagamento.  

Segundo definição do Banco Central, o ponto em comum entre eles é o fato de executarem exclusivamente serviços de pagamento, com total independência de relacionamento com bancos. Estes serviços podem ser:

  • depósito ou saque em conta de pagamento;
  • execução de instrução de pagamento;
  • gestão de contas de pagamento;
  • emissão de instrumento de pagamento;
  • credenciamento de instrumentos de pagamento ;
  • execução de remessa de fundos; e
  • conversão de moeda física em eletrônica ou vice-versa.

Por suas características, as instituições de pagamento são instituições não financeiras. Elas não podem usar o dinheiro que está nas contas de pagamento para conceder empréstimos para tomadores - tal como os bancos, por exemplo. Ou seja, o capital dos clientes é dos clientes e não se mistura com o capital usado em negociações.

Sem esse risco, instituições de pagamento que não tenham R$ 500 milhões em transações ou R$ 50 milhões em recursos mantidos em contas de pagamento não precisam de autorização do Banco Central para funcionar. Mesmo assim, elas seguem inúmeras regras. 

Outra característica é que as instituições de pagamento costumam atender nichos, ser mais enxutas e inovadoras, logo, menos burocráticas. Isso, no entanto, não as torna menos seguras que as instituições financeiras. Aliás, muitas instituições de pagamento são ligadas a instituições financeiras. 


As principais diferenças entre banco e instituição de pagamento

Para garantir a segurança de seus clientes, elas estão sujeitas à fiscalização e às normas do Banco Central para o segmento. Se seu dilema entre banco ou instituição de pagamento é a segurança, fique tranquilo: as regras de funcionamento são praticamente equivalentes. 

 

Banco

Instituição de pagamento

Instituição financeira

Instituição não financeira: pessoa jurídica que executa serviços de pagamento

Oferecem contas bancárias

Oferecem contas de pagamento pré-pagas ou pós-pagas

Permitem a movimentação de recursos em conta de depósito à vista

Permitem movimentação relacionada apenas a pagamentos, transferências e compras

Podem utilizar recursos em operações de intermediação financeira, como concessão de crédito ou aplicações


 

Não podem utilizar recursos para intermediação financeira, a não ser em parceria com instituições financeiras, mas podem fazer antecipação de recebíveis

 

Todo o dinheiro depositado fica no BC ou é capitalizado em títulos públicos

Capital se mistura ao dos correntistas

Capital não se mistura ao dos correntistas

Precisa de autorização do BC para funcionar

Não precisa de autorização do BC para funcionar até  ter volume de R$ 500 milhões em transações ou de R$ 50 milhões em recursos mantidos em contas de pagamentos

Recursos depositados são protegidos pelo Fundo Garantidor de Crédito

Recursos não são protegidos pelo Fundo Garantidor de Crédito

Maior risco de crédito

Menor risco de crédito

 

Transformando a sua empresa em uma fintech

Independentemente de suas diferenças, seja banco ou instituição de pagamento, os dois oferecem serviços de pagamento com alto nível de segurança

Dentro desse conceito, uma empresa pode se tornar uma instituição de pagamento sem relação com quaisquer instituições financeiras. Como vimos, atendendo os requisitos de volumetria de transações e de recursos, assim como as normas para o segmento, elas podem começar a operar de forma rápida, sendo necessário apenas notificar o Banco Central. 

Com uma solução de BaaS (Banking as a Service), as empresas podem se tornar instituições de pagamento sem a burocracia de criá-las do zero ou preocupação com o próprio back-office. É o que soluções white label, como o PayFac da Matera, fazem. Você se conecta a toda a infraestrutura de uma incubadora de fintechs, e oferece serviços de pagamento como o Pix, sempre com a sua marca em destaque. 

Com isso, soluções como a da Matera transformam a sua empresa em sua própria instituição de pagamento, eliminando a necessidade de interação com agentes externos. Mais que isso: elas transformam a sua empresa em uma fintech, gerando mais valor para seus clientes e, inclusive, multiplicando a sua receita através da cobrança de taxas pelas transações realizadas.

Quer saber mais sobre como desintermediar pagamentos tornando uma instituição de pagamento por meio de um BaaS pode beneficiar o seu negócio? Continue acompanhando o blog da Matera!

Similar posts

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Quer saber quais são as últimas notícias do setor em primeira mão? O seu próximo clique tem que ser aqui.